Quem somos

A nossa 
missão

A APOIAR - Associação Portuguesa de Apoio a África é uma ONG portuguesa com 22 anos de existência que promove projectos de desenvolvimento nas áreas da Nutrição, Saúde e Educação e Formação em África.


Temos como missão “educar para o desenvolvimento sustentável e promover a ajuda humanitária, contribuindo para a quebra do ciclo de pobreza absoluta” e contamos com múltiplos projectos implementados em África com impacto em 20.000 famílias, 10.000 jovens e milhares de crianças. 
Para a execução dos nossos objectivos, a APOIAR trabalha em estreita colaboração com parceiros locais. Desde 2015 que a APOIAR foca a sua actuação em Moçambique.

A nossa direcção

Os membros do nossa direcção são apaixonadas pela causa e têm um conjunto único de competências e experiência para levar a nossa organização mais longe.

A nossa equipa

Gostamos de fazer tudo acontecer. Move-nos a entrega à causa e o trabalho com sentido. Importamo-nos profundamente com o que fazemos todos os dias. Trabalhamos com dedicação e amor pois sabemos a responsabilidade que temos de alcançar mais para quem mais precisa. Uma causa tão nobre, merece o nosso melhor esforço em todos os níveis da operação. 

A nossa história

Quando surgimos, em 1995, aquando da nossa 1ª visita a Moçambique, foi-nos pedido que concentrássemos a nossa acção no ensino de informática. Nessa altura, sendo Moçambique um dos 5 Países mais pobres do mundo, o pedido que nos faziam levantou-nos algumas questões... Por outro lado a abertura deste país ao investimento estrangeiro, à banca e outras instituições informatizadas, deram-nos força para seguir em frente com o que nos era pedido. Em 9 anos abrimos centros de informática: Maputo, Xai-Xai, Beira, Manjacaze, Inhambane, Manica, Quelimane, Lichinga e Pemba, com o co-financiamento da Comissão Europeia e do Instituto da Cooperação Portuguesa. Capacitámos cerca de 120 formadores por todo o país em regime intensivo de 2 meses, que por sua vez continuam a acção de formação a utilizadores, tornando os centros não só autossustentáveis, como, principalmente, lucrativos e capazes de gerar recursos para as Instituições de apoio social em que se encontram inseridos.

Com a preocupação de responder às necessidades sentidas pelas populações no terreno, ao longo dos anos, fomos desenvolvendo outros projectos.

Fomos até Angola. Em 2004, a APOIAR pôs mãos à obra em Lobito na melhoria das instalações do Centro de Saúde do Bom Pastor que serve o Bairro da Cabaia. Bairro este com uma população extremamente carenciada. O Centro de Saúde servia uma média de 300 doentes por dia. Aqui foi também desenvolvido um projecto de formação profissional composto pelo centro de formação e produção de corte e costura. Nesta altura, foi também restaurada e equipada uma carpintaria para a formação de carpinteiros e produção de peças em madeira.

Entre 2006 e 2007 foram criados dois Centros de Formação em Informática na Província de Benguela. Um na Diocese do Lobito e outro na Escola Profissional de S. Paulo. Em 2010 dotámos com livros especializados a biblioteca jurídica da Universidade Católica do Lobito.

Em 2009 no Alto da Catumbela, uma pequena aldeia repovoada de refugiados da guerra vindos do interior de Angola que vivem no limiar da pobreza absoluta abrimos o Centro de Saúde Alto da Catumbela, um projecto que teve o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian. O Jardim de Infância das crianças desta Aldeia foi totalmente equipado pela APOIAR permitindo que tenham o acesso a educação de maior qualidade e um melhor espaço para brincarem com segurança. As Servas Franciscanas Reparadoras do Imaculado Coração de Jesus foram as parceiras no terreno destes projectos.

Além do projecto de Centros de Informática, reforçámos a nossa actuação em Moçambique noutras áreas. Instalámos Bibliotecas e Ludotecas um pouco por todo o país. Os Livros foram um excelente apoio à Alfabetização e os CDs didácticos deram um apoio muito importante aos professores que tinham desde há muitos anos, uma enorme dificuldade de acesso a livros. Em 1997, no Xai-Xai, construímos a Escolinha do André, em conjunto com as irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, que recebe 250 crianças desfavorecidas distribuídas desde a pré-primária até à 5ª classe e cerca de 60 adultos nos cursos de alfabetização. Durante as cheias de 2000, muitas famílias ficaram desalojadas e a pedido das irmãs Dominicanas demos início a um projecto de reconstrução e reparação de casas e palhotas existentes. Até final de 2008 foram construídas 48 casas para as famílias que acolhem as crianças da Escolinha do André no Xai-Xai. Sabendo da importância dos recursos hídricos para o desenvolvimento da população, em 2008 procedemos à abertura de furos de água em Xai-Xai e em Tete.

Fomos pioneiros no desenvolvimento de programas de apadrinhamento de crianças à distância. Actualmente gerimos o programa de apadrinhamento à distância em parceria com a Fundação LVida. Os primeiros passos foram dados em 1999 na Escolinha do André no Xai Xai. São os padrinhos que permitem que as crianças tenham acesso a alimentação e frequentem a Escola. A gestão do projecto de apadrinhamento foi entregue à Organização "Um Pequeno Gesto" no ano de 2008. Em 2002, o projecto de Apadrinhamento estendeu-se às crianças do orfanato do Mumemo. Após 10 anos de cooperação da APOIAR, em 2012 a gestão do projecto do Apadrinhamento foi entregue a este parceiro local. Ainda em Mumemo, foram organizados rastreios de HIV, em parceria com Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição. No ano de 2009 foram efectuados 15.000 testes e estiveram em tratamento 1.365 doentes. A iniciativa foi potenciada pelo Festival de Música e Dança do Mumemo. Também em Mumemo, dada a elevada taxa de desemprego e falta de habitação própria das famílias, a APOIAR desenvolveu um projecto de formação em construção de casas em terra crua indo de encontro às necessidades de habitação mas sobretudo promovendo a formação em técnicas de construção tradicionais e económicas. Os formandos do curso continuam hoje a construir casas para as famílias do Bairro do Mumemo. 

Em 2015, em Mandimba, no Niassa, iniciámos o projecto KUKULA – cozinhas escolares moçambicanas, um programa de alimentação escolar que contempla a distribuição gratuita de duas refeições diárias nutritivas aos alunos assíduos e que já se encontra presente em 5 escolas. Em 2017 lançamos em Sofala, na Escola da Mafarinha o mesmo programa, Projecto Kook4all. E no Dondo lançamos a primeira semente do projecto MAYI – Academia de Formação e Nutrição Materno-Infantil que existe para melhorar a alimentação e saúde de grávidas, mães e seus bebés até aos 2 anos.      

Os nossos parceiros

Todos os nossos parceiros são essenciais para o desenvolvimento dos nossos programas e estamos gratos, a cada um, pelas suas generosas contribuições.

Parceiros em Portugal

Parceiros em Moçambique

Share by: